Vote nos cenários futuros que mais podem ter impacto no nosso país

aqui partilhei a honra que senti por ter participado no evento ICT 2013 que se realizou em Vilnius, Lituânia, nos dias 6, 7 e 8 de Novembro. Este evento organizado pela Comissão Europeia virou-se para o papel da tecnologia na sociedade, desde a saúde à educação, das cidades à democracia. Se eu tivesse de identificar três temas que dominaram o programa de palestras e workshops, apontaria para:

  • a inovação tecnológica na saúde e na qualidade de vida dos idosos
  • as smart cities
  • a tecnologia como facilitador de inclusão e novas formas de participação pública.

Foi exatamente este último ponto que me levou até à capital da Lituânia para este evento, mais concretamente para participar numa sessão de trabalho sobre o Futurium.

Ilustração do projeto Futurium

Uma das cenas do cartoon produzido para convidar à participação no Futurium

O Futurium é uma plataforma digital desenvolvida pela Diretoria Geral de Redes, Conteúdo e Tecnologia de Comunicação (DG Connect), sob a alçada da Vice-Presidente responsável pela Agenda Digital, Neelie Kroes.

O Futurium combina o carater informal potenciado pelas ferramentas sociais com uma abordagem metodológica que visa envolver a Europa na co-criação de cenários futuros e de políticas relevantes. É um verdadeiro exemplo de cidadania 2.0.

Ao longo dos últimos meses as pessoas foram contribuindo para o Futurium com o que consideram ser possíveis cenários futuros (206 neste momento). Partilharam também ideias de políticas que façam sentido em resposta a esses cenários (64 ideias de políticas).

Os “futuros” avançados foram sintetizados, dando origem a onze temas emergentes que, muito provavelmente, merecerão a atenção das políticas públicas a definir para as próximas décadas. Estes onze temas estão a agora em votação para que, através da inteligência coletiva dos cidadãos europeus, a Comissão Europeia ganhe uma melhor perspectiva de quais as áreas prioritárias.

A participação portuguesa tem sido bastante reduzida. Acredito que esta é uma excelente oportunidade de nos fazermos ouvir, garantindo que este instrumento Europeu reflete as nossas prioridades. E por isso, lanço aqui o convite para participarmos desta votação pública. Vejam abaixo como é fácil

Os 11 temas do Futurium

Os onze futuros que estão em votação até ao dia 3′ de Novembro 2013 no Futurium

Para cada tema somos convidados a votar sobre a sua relevância e sobre quando consideramos que esse futuro irá ser uma realidade. Não é um teste, não há respostas certas nem erradas. É um exercício que procura ficar com uma ideia estimada a partir da opinião pessoal de muitas pessoas 😉 O famoso “wisdom of the crowd“!

Para além dos textos que descrevem cada um dos temas, há um pequeníssimo sumário que pode ser suficiente para emitir uma opinião (eu consegui votar em praticamente todos os temas apenas com base na leitura desses sumários). Ah, e não é preciso votar em todos os temas!

Os textos integrais estão apenas em inglês, mas agora já existe uma versão em português desses curtos sumários que referi acima. Para facilitar, deixo aqui os sumários de cada um dos onze temas com um link direto para a página onde podem ler o texto completo (em inglês) e votar sobre a sua relevância e timing.

Uma era trans-humanística: Por volta de 2050, irá emergir uma nova forma humana (trans-humana), onde as tecnologias de informação e comunicação e a bio-medicina irão radicalmente melhorar a condição humana e aumentar imensamente as capacidades intelectuais, físicas e psicológicas do ser humano. O aumento das habilidades cognitivas e intelectuais dos seres humanos será possível através de implantes, como por exemplo para armazenamento de memória e energia. (mais informação e votação >>)

Arte, Ciências e Humanidades: Os desafios que a humanidade enfrenta revelam-se cada vez mais globais e grandemente interligados. As próximas décadas vão-nos dar as ferramentas para começarmos a dominar esta complexidade tanto através de um entendimento mais profundo, mas também em termos de políticas e ação com uma maior previsibilidade de impacto. (mais informação e votação >>)

Cidades, vilas e comunidades: As cidades irão crescer e transformar-se em megacidades, altamente irrigadas por meios de transporte amigos do ambiente e energeticamente sustentáveis. Estarão também cheias de novas habitações e edifícios feitos com materiais de construção inovadores. Todos os elementos da cidade irão estar ligados a uma supra-rede de mais alto nível, a futura Internet, onde irá crescer uma economia de serviços totalmente nova. (mais informação e votação >>)

Do berço para a cova, trabalho e lazer: Dentro de 20 a 30 anos, as pessoas serão capazes de trabalhar ao longo de toda a sua vida e mudar de emprego de acordo com as suas necessidades e aspirações pessoais. A ideia de um trabalho fixo e permanente tornar-se-á uma relíquia do século XX. Apenas uma minoria da população irá experimentar ciclos de vida lineares/sequenciais (isto é, estudo => trabalho => família => reforma). Ao invés disso, os cidadãos farão o que quiserem, independentemente da idade que tiverem. (mais informação e votação >>)

Humanos hiper-conectados: A Internet continuará a sua expansão como conector global, empurrada pelos avanços das fundações tecnológicas (por exemplo, redes fotónicas, quantum, computação orgânica, etc.) e pela necessidade de suportar cenários de aplicação cada vez mais sofisticados que instantaneamente liguem os mundos físicos e virtuais. (mais informação e votação >>)

Aprendizagem: A paisagem da educação em 2050 será caracterizada por um diluir das fronteiras entre os diferentes níveis e direções de ensino, e entre o ensino superior e a indústria. Irá oferecer muito mais flexibilidade no desenho de percursos de formação adaptados às necessidades pessoais, e combinando diversas modalidades de ensino numa experiência de aprendizagem contínua e estimulante. (mais informação e votação >>)

Novos atores, novas polaridades: Nos próximos 20-30 anos, as pessoas terão mais poder do que nunca para partilhar conhecimento, ter consciência do ambiente que as rodeia, e tomar decisões informadas e responsáveis. Tornar-se-ão membros ativos num cenário global. (mais informação e votação >>)

Novos modelos económicos: No espaço de 20-30 anos a economia mundial poderá mudar significativamente, derivado do advento de inovações tecnológicas e societais. Robótica, automação e manufatura avançadas irão trazer a produção atual para uma dimensão local mais sustentável. (mais informação e votação >>)

Em busca da Paz Global: Nos próximos 30-40 anos, as sociedades serão caracterizadas por uma tensão permanente entre os interesses individuais e coletivos, que conduzem a uma tensão contínua entre dois modelos opostos: 1) uma sociedade onde apenas uns decidem em nome de todos (como representantes eleitos ou porque novas formas de poder oligárguico emergiram para exercer manipulação societal); 2) uma sociedade sem classes nem hierarquias, caracterizada por uma liderança participatória e novas formas de organização “caórdica”, onde todos têm possibilidade de co-decidir. (mais informação e votação >>)

Re-invenção da comunicação social: Os mídia sociais irão substituir a tradicional comunicação social editorial como o palco dominante nos próximos 20-30 anos. (mais informação e votação >>)

Futurium - Invite A data limite para votação é 30 de Novembro 2013. Vamos a isso?

Publicado por:

   Ana Neves
Sócia e Diretora Geral da Knowman, empresa de consultoria nas áreas de gestão de conhecimento, comunidades de prática, ferramentas sociais e participação cívica digital. É uma das organizadoras do evento Cidadania 2.0 e a pessoa responsável pela plataforma Cidadania 2.0.

Deixe o seu comentário

Contactos

Tem questões sobre o Projeto Cidadania 2.0? Tem sugestões? Quer ser nosso parceiro?

Envie-nos um email

Newsletter

Mensagem enviada mensalmente por email com novidades sobre o projeto Cidadania 2.0 e informação sobre novos projetos, entrevistas e artigos sobre a utilização da tecnologia para a democracia e para a defesa de direitos humanos e sociais.

SUBSCREVER

Apoios

Logo da Samsys

Regressar ao cimo