Dados abertos no Brasil, nos EUA e no resto do mundo

Manual de Dados Abertos (SPUK)No passado dia 11 de março, no âmbito do projeto “Melhorando o ambiente de negócios por meio da transparência – SPUK”, foi lançado o guia “Incentivo ao (re)uso dos Dados Abertos”. Este projeto de cooperação entre o Governo do Estado de São Paulo e o Reino Unido teve financiamento do Prosperity Fund e visou capacitar gestores públicos para a abertura de dados governamentais e para aplicação da Lei Anticorrupção.

Para além deste guia, e também no âmbito do projeto SPUK, foram desenvolvidos pelo iGovSP e pela CeWeb.br o Guia de Dados Abertos e o Guia de Web Semântica.

Está também disponível a tradução para português do Guia de Maturidade em Dados Abertos, originalmente criado pela organização britânica Open Data Institute.

No mesmo dia 11, Barack Obama subiu ao palco do evento SXSW para motivar a população mais jovem a investir o seu tempo, o seu conhecimento e a sua energia na co-criação de soluções para os problemas que a sociedade enfrenta.

Vale a pena assistir à sua intervenção na íntegra. Mas, para o caso de não ter tempo, aqui ficam uns breves excertos da parte inicial.

“Part of my challenge, since I’ve been President, is trying to find ways in which our Government can be a part of the positive change that it’s taking place and can help convene and catalyze folks in the private sector, and non-profit sector to be part of the broader civic community in tackling some of our biggest challenges.”

“We’re spending a lot of time figuring out how can we make Government work better through technology, digital platforms and so forth. (…)
Second thing that these new technologies allow us to do is to tackle big problems in new ways. (…)
Number three we want to make sure that we are using big data, analytics, technology to make civic participation easier. (…) Increasing voting rates and making sure that people are informed about who they are voting for and why they are voting. Making sure that community organizations or activists are able to meet and help to shape our society in new ways.”

“How can we start coming up with new platforms, new ideas, new approaches, across disciplines and across skill sets to solve some of the big problems we’re facing today. (…) The only way we’re going to solve this is make sure that we’re getting citizens involved in ways that we haven’t up until now.”

Na mesma semana, o World Bank lançou a versão beta do portal World Bank Open Data. Este portal conta atualmente com 223 conjuntos de dados no seu catálogo e pretende facilitar o acesso e a utilização dos dados recolhidos por esta instituição que luta contra a pobreza mundial.

World Bank Open Data

Aquela foi uma semana movimentada. Felizmente, reflete uma sociedade cada vez mais ciente do papel que a tecnologia pode ter como veículo de comunicação, mobilização e capacitação. Quase todas as semanas temos conhecimento de novos projetos de cidadania 2.0 (no que diz respeito aos dados abertos em todo o mundo, o volume é evidente). Queremos mais, queremos muitos, mas acima de tudo queremos que sejam participados e que alcancem o impacto a que se propõem.

Publicado por:

   Ana Neves

Sócia e Diretora Geral da Knowman, empresa de consultoria nas áreas de gestão de conhecimento, comunidades de prática, ferramentas sociais e participação cívica digital. É uma das organizadoras do evento Cidadania 2.0 e a pessoa responsável pela plataforma Cidadania 2.0.

Deixe o seu comentário

Contactos

Tem questões sobre o Projeto Cidadania 2.0?
Tem sugestões? Quer ser nosso parceiro?
Por favor contacte-nos em info@knowman.pt

Subscrever newsletter

Quero receber:

Apoios

Logo da Samsys

Regressar ao cimo